Moeda verde

Moeda verde

A Operação deflagrada pela Polícia Federal, investigou a suposta prática de tráfico de licenças ambientais, tendo condenado 16 pessoas.

O empresário do ramo de shoppings e ex-prefeito de Palmas no Tocantins, Carlos Amastha (PSB), acabou tendo as investigações contra ele arquivadas. Amastha fez amigos em Santa Catarina, um deles foi o seu coordenador de campanha, Felipe Salvatti Mescolotto, filho da ex-ministra, Ideli Salvatti.

Em 2017 ele foi indiciado na Operação “Nosotros”, que apurou no Tocantins suposta corrupção passiva e associação criminosa, por ter supostamente cobrado de forma indevida, o IPTU de um proprietário de terras que é considerado o maior devedor de imposto de Palmas.

Também está sendo investigada fraude em licitações para a construção do Bus Rapid Transit (BRT), no valor de R$ 260 milhões. O então secretário e futuro presidente do PSB catarinense, Adir Gentil, também foi indiciado e, houve até operação da Polícia Federal aqui em Santa Catarina.

Compartilhe!

Comment (1)

  • Alexandre

    Ou seja, por onde passa faz treta.

    13 de abril de 2019 at 08:31

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.