Após decisão da Justiça, Pezão retira tornozeleira eletrônica

Ex-governador era monitorado desde 2019, quando foi solto por decisão do STJO CRIME COMPENSA  – Após decisão do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, o ex-governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, retirou nesta quinta-feira (21) a tornozeleira eletrônica que utilizava desde que foi solto, em 2019, por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Condenado em junho deste ano a 98 anos pelo próprio Bretas em um dos processos da Lava Jato no Rio de Janeiro, o ex-governador vai responder em liberdade pelo fato da condenação ter ocorrido em primeiro instância. Para retirada do item, Pezão compareceu nesta manhã a uma unidade prisional em Volta Redonda, no Sul Fluminense, onde o aparelho foi desmontado.

A decisão de Bretas pela primeira condenação de Pezão na Lava Jato foi em junho deste ano. A pena pelos crimes de corrupção passiva, ativa, organização criminosa e de lavagem de dinheiro somou 98 anos, 11 meses e 11 dias de prisão. O processo que levou à pena do ex-governador foi feito a partir da Operação Boca de Lobo.

Outras 10 pessoas também foram condenadas pelo juiz Bretas na ação, entre eles, o também ex-governador Sérgio Cabral. Todos os condenados terão que dividir o pagamento de uma indenização de R$ 39,1 milhões, que representa o equivalente à propina recebida pelo grupo. O valor será revertido à União.

De acordo com as investigações da Operação Lava Jato, Pezão continuou a praticar crimes de corrupção, desvio de recursos públicos e lavagem de ativos no estado do Rio de Janeiro que ocorriam no governo de Sérgio Cabral.

Compartilhe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.