Carros Autônomos e o vale da desilusão

Thomas Watson, fundador da IBM, disse em 1943: “Existe um mercado mundial para, talvez, uns cinco computadores”. Grande erro, não foi? Mas este manejo de expectativas é realmente muito comum na tecnologia e inovação.

A empresa de consultoria Gartner constantemente publica o que eles chamam de “Hype Cycle”. É um gráfico que trata das tecnologias emergentes em 5 quadrantes: gatilho, pico das expectativas, vale da desilusão, inclinação para o uso e platô da produtividade (veja o exemplo retirado do website deles – link do original).

O conceito é interessante: a tecnologia nasce e, de uma hora para a outra, todo mundo acha que é a solução para todos os problemas da vida (pico de expectativas), para, em algum tempo, cair no vale da desilusão até encontrarem seu lugar certo.

Assim como o primeiro computador, o carro autônomo virou um “hype” há alguns anos: mídias em foco e empresas correndo atrás.
Porém, uma tecnologia não basta por si, principalmente quando tem interação direta em nosso mundo complexo. Os acidentes gerados nos testes, a entrada dos legisladores e a própria cultura instalada aceleraram o vale da desilusão destes veículos autônomos.

Mas, é claro, todo o trabalho já está rendendo frutos. Setores como a mineração já utilizam veículos totalmente autônomos (e inclusive carbono zero) em seus processos (aqui). Robôs entregadores já podem ser vistos nas ruas de grandes cidades (veja o Scout da Amazon) e já temos a venda no Brasil de alguns veículos semiautônomos, que aceleram, freiam, detectam pedestres e estacionam sozinhos. Isso mesmo, com algumas centenas de milhares de reais (?!!) você já pode experimentar a inovação.

Ainda existem muitos desafios pela frente, principalmente em relação à segurança e à responsabilidade social, mas nosso platô da produtividade deve chegar em breve. Já até vejo diminuindo minha preguiça em pegar aquele engarrafamento de final de tarde : )
Aí vem proteção contra hackers, novas modalidades de CNH e etc. Mas isto é outra história tecnológica.

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.