CPI DA PONTE – Gravíssimo!

CPI DA PONTE – Gravíssimo!

Os deputados estaduais que integram a CPI da Ponte Hercílio Luz na Assembleia Legislativa, podem ter se deparado com um fato gravíssimo revelado nos depoimentos de duas testemunhas.

O proprietário da Vivenda Construções, Sebastião Moraes Mattos, não reconheceu como sua, a assinatura em um aditivo de contrato de 1990, que pela conversão para o Real atualmente, deve chegar à casa de R$ 1 milhão.

A Vivenda firmou um contrato com o antigo Departamento de Estradas de Rodagem (DER), para realizar serviços na ponte entre setembro de 1990 e janeiro de 1992.

O que chamou a atenção, é que quatro dias após a assinatura, foi firmado um termo aditivo sem uma maior justificativa.

Mattos disse não se lembrar de ter assinado o documento e, ao ser confrontado, não reconheceu a assinatura e mostrou a carteira de identidade, na qual consta uma assinatura diferente. “Até me surpreende isso.

Absolutamente, essa assinatura não é minha. Não acredito que foi de um procurador nosso”, completou. O ex-sócio de Mattos, o engenheiro Vilmar Tadeu Bonetti, também não reconheceu a assinatura como se fosse do ex-sócio.

Compartilhe!

Comment (1)

  • José Antonio Kumakola

    Então foi assinado no final do governo Maldaner e adentrou o de Kleinubing. Resta saber se este último descobriu algo e não divulgou.

    18 de abril de 2019 at 03:44

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.