Ex-presidente da CBT é condenado a 4 anos de prisão por desvio de recursos da Lei de Incentivo

Ex-presidente da CBT é condenado a 4 anos de prisão por desvio de recursos da Lei de Incentivo

Jorge Lacerda da Rosa, o ex-tenista Dácio Campos e o empresário Ricardo Marzola Junior foram considerados culpados no desvio de recursos da Lei do Incentivo ao Esporte pela Justiça Federal de São Paulo; início da pena dos réus será cumprida em regime aberto.

O ex-presidente da Confederação Brasileira de Tênis Jorge Lacerda da Rosa foi condenado a quatro anos de reclusão no processo que investiga desvios de recursos da Lei do Incentivo ao Esporte.

O empresário, ex-tenista e ex-comentarista do SporTV Dácio Campos, sócio da empresa Premier Sports Brasil, recebeu a mesma pena.

A sentença em primeira instância da Justiça Federal de São Paulo saiu no dia 11 de dezembro.

Ricardo Pinto Marzola Júnior, proprietário da Brascourt Pisos Esportivos, foi condenado há três anos de reclusão.

A informação foi dada pelo portal “UOL” e confirmada pelo GloboEsporte.com.

O caso denunciado ocorreu no Grand Champions Brasil, evento realizado em maio de 2011, em São Paulo. Jorge Lacerda foi acusado de desviar R$ 440 mil captados junto ao Ministério do Esporte para a realização do torneio.

Coube à Premier Sports Brasil R$ 400 mil para montar as estruturas, e à Brascourt R$ 40 mil para montar as quadras.

O torneio, no entanto, mudou para a Sociedade Harmônica de Tênis, clube que não cobrou pelo aluguel do espaço. O Tribunal de Contas da União (TCU) constatou que o pagamento foi mantido com a utilização de notas fiscais fraudulentas.

A investigação teve início em 2013, quando o Ministério do Esporte considerou a prestação de contas como irregular. Na ocasião, Lacerda alegou que “houve um acordo, e não uma intermediação (com o Harmonia) para ganhar o dinheiro”.

O início do cumprimento da pena dos três reus será no regime aberto, substituído por penas de prestação de serviços à comunidade ou a entidades públicas. Eles também terão de pagar um salário mínimo mensal a uma entidade pública ou privada com destinação social. Jorge Lacerda e Dácio Campos precisarão pagar o valor correspondente a 80 dias-multa (cerca de R$2544), enquanto Ricardo Marzola terá de pagar o valor correspondente a 45 dias-multa (cerca de R$1417).

Este não é o único caso que envolve o nome de Jorge Lacerda, que ocupou o cargo da presidência da CBT entre 2004 e 2016. Ele também é mencionado no inquérito contra Romero Jucá (MDB), que investiga o desvio de patrocínio dos Correios à Confederação de Tênis.

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.