NOTÍCIAS – Governador de SC Carlos Moisés (PSL); sofre avalanche de críticas da classe artística pelas redes sociais. Veja

NOTÍCIAS – Governador de SC Carlos Moisés (PSL); sofre avalanche de críticas da classe artística pelas redes sociais. Veja

Pedido do governador de SC Carlos Moisés (PSL) à classe artística gerou enxurradas de críticas

Ao invés de estar preocupado com as causas que levaram os gastos em mais de R$ 1 bilhão e 200 milhões nas obras de restauração da velha ponte Hercílio Luz, que liga a Ilha –  Continente em Florianópolis, e que levou mais de 30 anos para estar concluída ( nem pintura está completa ainda );  mas que deverá ser reinaugurada dia 30 de dezembro próximo.

Pelo contrário, o governador de Santa Catarina Carlos Moisés (PSL), pediu dias atrás para que artistas que estejam interessados em apresentar-se voluntariamente sem custos aos cofres públicos durante esta reinauguração da  Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis (SC), se manifestem atendendo a este pedido governamental.   

  Este pedido do governador Carlos Moisés (PSL),  gerou uma série de críticas pelas redes sociais contrários a este tipo de solicitação uma vez que não haveria necessidade deste aspecto festivo para uma obra pública – algo que gerou severas críticas por parte de muitos artistas de vários setores e segmentos culturais de Santa Catarina.  

  Ora vejamos: Carlos Moisés (PSL), já quase um ano no governo de Santa Catarina, sequer manifestou em algum instante sua preocupação com relação aos supostos desvios milionários de recursos públicos nesta obra de restauro da Ponte Hercílio Luz. Curiosamente, ignora os motivos  que levaram esta obra consumir mais de R$ 1 bilhão e 200  milhões de reais dos cofres públicos catarinense e cuja obra possui suspeitas de muitas irregularidades e desvios de centenas de milhões.

Gastos milionários feitos pelo estado de Santa Catarina ao longo de cerca de 30 anos com esta obra. Uma Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI foi instalada na Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina- Alesc, logo no início deste ano visado apurar para onde foram parar mais de R$ 1 bilhão e 200 milhões.    

O governador Carlos Moisés (PSL), possui ampla maioria de apoio na Alesc;  mas ao que tudo indica esta CPI vai virar uma espécie de “pizza “. E o mais estranho é que a Polícia Federal (PF) e o Ministério Público Federal (MPF), sequer ambos tenham ingressados nas investigações diante vários aspectos relevantes já inseridos que referem-se à suspeitas várias com relação aos desvios milionários na obra de restauração da Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis.

Há milhões de recursos públicos federais, inclusive nesta obra.       São desde serviços e consultorias suspeitos terceirizados e com possíveis superfaturamentos milionários; aditivos milionários desnecessários; enfim, uma série de suspeitas que recaem nesta restauração da Ponte Hercílio Luz. Outro aspecto: esta obra sequer deverá ter a pintura completa de sua estrutura, especialmente na parte inferior até o prazo previsto pelo governador Carlos Moisés (PSL), que é no dia 30 de dezembro deste ano.

Mais ainda, a trafegabilidade sobre a Ponte Hercílio Luz também sequer está definida ou se será para livre transito de veículos ou apenas para pedestres e ciclistas. E o Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina (TCE/SC), deve ter acompanhado passo a passo estes gastos com a obra de restauração da Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis.

Mas, segundo informações a própria CPI tem encontrado uma espécie de dificuldades para obtenção de todos os documentos junto ao governo do Estado, o que demonstra e reforça ainda mais as suspeitas de que algo equivocado e possíveis irregularidades tenham sido cometidos nesta obra.

Pelo que se vê; quem mesmo poderá realizar e promover a festa de reinauguração serão efetivamente e eventualmente possíveis corruptos e mafiosos que tenham praticado desvios milionários nesta obra de restauração da Ponte Hercílio Luz, como tem sido infelizmente prática mais comum no Brasil onde milhares de processos investigatórias da PF e do MPF além de ações do GAECO, demonstram como agem muitos corruptos e mafiosos que desviam milhões e até bilhões dos cofres públicos e o povo paga com a arrecadação financeiras diante elevados e variados impostos e tarifas públicas para que uma gama de corruptos e mafiosos festejem as custas da população.

Esperamos e torcemos que não seja este caso relacionado com a obra de restauração da Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis. Enquanto isto, duas outras pontes em Florianópolis, ou seja, a Pedro Ivo Campos e Colombo Machado Salles, ambas correm risco de desabarem.

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.