Para refletir

Para refletir

Será que a justiça pela qual bradamos ela é seletiva? Fiquei por uns bons minutos refletindo sobre isso na tarde de ontem, ao pensar no caso “Intercept”, do vazamento de supostos diálogos entre o juiz Sérgio Moro, e o procurador da Lava Jato, Deltan Dallagnol, além de outras conversas envolvendo procuradores. Antes de tudo, vale afirmar que de forma criminosa os aparelhos telefônicos foram hackeados e, isso deve ser apurado por ser um caso de segurança nacional. Além disso, vale destacar que não há valor jurídico para esse tipo de vazamento.

Mas voltando à pergunta inicial, é importante lembrar que segundo Aristóteles, justiça e virtude devem ser vinculadas, pois, ambas são uma “disposição de caráter”, sendo assim, a pessoa justa deve exercer a sua virtude não só em relação a si mesmo, como também em relação ao próximo.

Quem acompanha o meu trabalho, sabe dos meus posicionamentos em relação aos acontecimentos na política nacional. As pessoas podem gostar, ou não, mas ninguém pode me acusar de fazer média, ou de não ter uma relação clara e honesta com o meu público, que são os senhores e as senhoras que me acompanham. Mas antes das minhas convicções, está o certo.

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.