PF; MPF; STJ; PGR e STJ aceleram o passo e mafiosos rumando à prisão por corrupção e lavagem de dinheiro

PF; MPF; STJ; PGR e STJ aceleram o passo e mafiosos rumando à prisão por corrupção e lavagem de dinheiro

Depois de mafiosos no PT; chega a vez do MDB; PSDB; DEM; PSD; PP verem integrantes mafiosos e corruptos indo parar na prisão
O trabalho está cada dia mais intensificado no combate a corrupção no Brasil. Ledo engano quem achar que a Justiça Federal e a Polícia Federal iriam dar uma espécie de trégua, sossego para muitos corruptos e mafiosos. Maioria destas organizações criminosas recheadas de maus políticos; maus empresários e doleiros mafiosos que muitas vezes juntos; estão agindo dentro e fora do Brasil há décadas.

São mafiosos que agem de forma de organizações criminosas desviando bilhões dos cofres públicos desta nação. Um trabalho conjunto dentro do Ministério Público Federal (MPF); Procuradoria Geral da República ( PGR ); Policia Federal (PF); Supremo Tribunal Federal (STF), – ( mesmo com alguns dos ministros do STF soltando mafiosos e corruptos, nestes casos de Gilmar Mendes por exemplo, que deu habeas corpus para muitos mafiosos que foram presos diante de várias operações da PF e do MPF; além do Supremo Tribunal de Justiça (STJ).

E mais recentemente nesta semana de setembro; este trabalho de combate a corrupção no país avança de forma substancial. Caso do ministro Gilberto Kassab (PSD); que virou réu na Justiça e teve indisponibilidade de bens no valor de R$ 81 milhões.

Uma leva de mafiosos indo parar na prisão. Outros virando réus e outros prestes à somar o número de presidiários

Também do ex-prefeito de São Paulo (SP), Fernando Haddad (PT), sendo investigado pela Justiça Federal e o caso do ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB), que foi parar na prisão juntamente com a esposa dele Fernanda Richa e o ex-chefe de gabinete de Richa; Deonilson Roldo.

E tem ainda a decisão do ministro do STF Edson Fachin que deu prazo de 15 dias a Procuradoria Geral da República (PGR), para decidir se denuncia ou não o presidente da República Michel Temer (MDB), em inquérito da Odebrecht.

E o destaque também para o ex-ministro nos governos de Lula e Dilma (PT), Antonio Palocci (PT), que está preso há meses por diversos crimes como desde corrupção passiva e ativa, além de lavagem de dinheiro e organização criminosa e que em delação à PF e ao MPF deverá nos próximos dias propiciar novas e bombásticas revelações que vão ser determinantes em garantir por parte da Justiça ampliar o período de prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e que poderá levar à prisão também a ex-presidente da República Dilma Rousseff (PT). Portanto; a cada semana que passa surgem novas e importantes contribuições deste trabalho de combate a corrupção e aos corruptos e mafiosos no Brasil.

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.