POLÍCIA – Operação Alcatraz repercutindo. Rombo aos cofres públicos de SC podem ultrapassar R$ 21 milhões

POLÍCIA – Operação Alcatraz repercutindo. Rombo aos cofres públicos de SC podem ultrapassar R$ 21 milhões

PF pede prorrogação das investigações na Alcatraz e MPF vai analisar pedido. Rombo praticado pela máfia pode ultrapassar R$ 21 milhões

O estado de Santa Catarina a exemplo de maioria do país sofrendo rombos praticados por organizações criminosas há décadas e desvios podem ultrapassar somente num caso descoberto pela PF cerca de R$ 21 milhões. Mas, os desvios contando outros rombos são ainda mais vergonhosos e criminosos como desde ao caso que vem sendo investigado relacionado à restauração da ponte Hercílio Luz em que o custo desta obra pode haver ultrapassado mais de R$ 1 bilhão e 200 milhões.
E tem uma série de outros casos não somente relacionado aos cofres públicos do Estado Catarinense, porém, relacionado a muitos municípios em que houveram operações investigatórias por parte da equipe do GAECO; Polícia Civil; Polícia Federal; Receita Federal e MPF na atuação conjunta de combate a corrupção em Santa Catarina. Sobre o caso específico da Operação Alcatraz, cuja investigação teve início em fevereiro de 2017; culminou inicialmente com 18 pessoas virando réus ( hoje já são 25 pessoas ) e número que poderá aumentar dependendo do que ainda vem adiante com a prorrogação solicitada pela Polícia Federal ao MPF de 60 dias para dar continuidade a estas investigações sobre desvios milionários aos cofres públicos do Estado de Santa Catarina.
Relatórios elaborados pela Polícia Federal (PF), nesta operação Alcatraz que investigou e continua ainda investigando outros fatos relevantes no caso de desvios milionários aos cofres públicos do Estado de Santa Catarina; onde estas investigações são relacionadas aos crimes de corrupção ativa; corrupção passiva; lavagem de dinheiro; formação de organização criminosa; peculato e pagamentos de vantagens indevidas – ou seja; pagamentos de propinas. Duas pessoas investigadas nesta Operação Alcatraz continuam atrás das grades.
Algumas presas inicialmente nesta Operação foram soltas da prisão, porém, ao que tudo indica diante do indiciamento de 25 envolvidos na Alcatraz, novas prisões deverão ocorrer. O Ministério Público Federal analisa pedido de prorrogação de prazo às investigações por parte da PF. Entretanto; o juizado que acompanha o caso deu apenas um prazo de 10 dias.

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.