POLÍTICA – A competência do coronel Araújo

POLÍTICA – A competência do coronel Araújo

Conquistar a Secretaria Nacional da Segurança Pública poderia ter sido, talvez, o único acerto real que Carlos Moisés iria carimbar de altíssima significância no plano nacional.

A quebra na indicação do coronel Araújo Gomes nesta célula de trabalho repercute no Tribunal de Justiça, Alesc, entidades empresariais e partidos políticos.

A conquista deste importante espaço traria grandes benefícios para Santa Catarina, com atenção especial em vários pleitos que a presença de Araújo iria atrair para os catarinenses.

Mas a vice-governadora preferiu ajudar a derrubar o coronel apenas porque tem no peito a marca do ódio que é reconhecida nas suas atitudes patéticas em relação ao povo que deveria representar com dignidade.

Talvez, no mesmo momento em que Daniela Reinehr escrevia aquela Carta da Mentira ao povo catarinense, o Estado perdia um grandioso espaço para resolver muitos dos seus problemas na Segurança Pública. Todos os setores lamentam.

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.