POLÍTICA – Com pandemia em descontrole, Daniela é candidata à lista dos piores gestores de SC

POLÍTICA – Com pandemia em descontrole, Daniela é candidata à lista dos piores gestores de SC

Dagmara

Por Dagmara Spautz

O relatório semanal de classificação de risco de Santa Catarina acende um novo sinal de alerta sobre a transmissibilidade do novo coronavírus. Com exceção do Alto Uruguai Catarinense, todas as outras 15 regiões estão em nível gravíssimo de transmissão. Esta é a primeira vez desde o início da pandemia, em março, que o Estado atinge um patamar tão alto para esse critério. Apesar disso, a governadora Daniela Reinehr continua inerte.

A transmissibilidade é um dos fatores avaliados pelo mapa de risco, que também analisa dados como monitoramento de casos e assistência de saúde. Em alta, ela retrata a sensação presente na maioria das cidades, de que o vírus está cada vez mais perto. As contaminações atingem especialmente os mais jovens, menos sujeitos a complicações. Mesmo assim, há impacto preocupante sobre o sistema de saúde. SC tem hospitais com índices de ocupação alarmantes, especialmente para uma doença que exige um longo tempo de internação.

Isso significa que nunca foi tão arriscado relaxar nas medidas de contenção. Deveria ser a senha para que as autoridades reagissem, com uma fiscalização mais efetiva e, onde for necessário, também novas restrições.

O Estado, que tem a obrigação legal de agir diante da omissão dos municípios, continua de braços cruzados. Escrevi esta semana que a governadora Daniela Reinehr tem até sexta-feira (27), data do julgamento do impeachment de Carlos Moisés, para registrar uma marca positiva em Santa Catarina e deixar o governo pela porta da frente. Até agora, no entanto, ela permanece inerte.

Em 27 de outubro, data em que assumiu o Estado interinamente, Daniela encontrou números já em reaceleração, com 252,5 mil casos confirmados e 3.068 mortes. Deve devolver o comando com cerca de 100 mil casos a mais e perto de 500 novos óbitos.

A governadora interina teve a oportunidade de buscar soluções viáveis junto aos municípios e de alertar os catarinenses sobre a gravidade da crise sanitária no Estado. Ao invés disso, está prestes a deixar o governo como uma das piores administrações que Santa Catarina já teve, com um combo que reúne incompetência e falta de constância administrativa, despreocupação com o alastramento da Covid-19 e deputados negacionistas como conselheiros.

Nos bastidores, circula a informação de que Daniela vai se pronunciar sobre a situação crítica da saúde em Santa Catarina nesta quarta-feira (25). Pode ser sua última oportunidade de deixar o governo com relevantes serviços prestados ao Estado que a elegeu.

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.