Proibido de dirigir, João Pizzolatti recebe auxílio-combustível como auditor da Receita

Proibido de dirigir, João Pizzolatti recebe auxílio-combustível como auditor da Receita

Mesmo com o direito de dirigir suspenso desde junho de 2018, o ex-deputado federal João Pizzolatti (PP) continua recebendo o auxílio-combustível pago pelo governo do Estado. Auditor fiscal da Receita Estadual, João Alberto Pizzolatti Júnior está lotado na Gerência Regional da Fazenda Estadual em Blumenau. Além da carreira na política, Pizzolatti é servidor efetivo desde 1984.

Na folha de pagamento mais recente, em abril, consta salário bruto de R$ 38.114,53, sendo R$ 32.979,88 de salário base e mais R$ 5.134,65 a título de “Verbas Indenizatórias”. Essas verbas, não detalhadas, consistem em “auxílio alimentação, vale-transporte, creche, indenização pelo uso de veículo próprio, ajuda de custo, etc”. O salário líquido de Pizzolatti, em abril, foi de R$ 31.153,83. As informações são do Portal da Transparência do Estado. O auxílio-combustível é tabelado, na faixa dos R$ 4.700.

TUDO SOBRE O AUXÍLIO-COMBUSTÍVEL

Em linhas gerais, o caso Pizzolatti exemplifica como, sim, há algo errado na concessão do auxílio-combustível, por mais que o governo assegure que esteja tudo certo.

Por meio de nota, a Secretaria de Estado da Fazenda informou que “o caso será analisado pela comissão”, que será criada para analisar o futuro do benefício. A Fazenda acrescenta que Pizzolatti cumpriu expediente “até o dia 9 de maio na gerência regional de Blumenau”.

No dia 8 de maio, a Justiça determinou a prisão de Pizzolatti, após ele ter sido flagrado dirigindo. A suspensão da CNH decorre de um acidente de trânsito em dezembro de 2017.

João Pizzolatti em acidente – Reprodução/ND

Íntegra da nota encaminhada pela Fazenda

A Secretaria de Estado da Fazenda (SEF) esclarece que foi publicada no Diário Oficial da última segunda-feira (13), uma portaria em conjunto com as secretarias da Administração (SEA), Casa Civil (SCC) e a Procuradoria-Geral do Estado (PGE) instituindo a criação de uma comissão para analisar todos os pagamentos de indenização por uso de veículo próprio. Compete ao grupo apurar gastos efetivamente realizados pelo Estado e estimar custos com a substituição do modelo atual por alternativas economicamente viáveis. Também estão sendo apurados modelos utilizados em outros Estados.

O Governo do Estado reforça que já adota medidas administrativas visando a regulamentação do pagamento do auxílio, com a suspensão em diversos casos como licenças, férias, afastamentos, participação em eventos, entre outros.

O caso do servidor João Alberto Pizzolatti Júnior também será analisado pela comissão. Cabe ressaltar que o servidor participou, na última semana, da Operação Dia das Mães, cumprindo até o dia 9 de maio expediente na gerência regional da SEF de Blumenau.

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.