Revogação do estatuto do desarmamento não deve ser votada este ano

Revogação do estatuto do desarmamento não deve ser votada este ano

O projeto de revogação do estatuto do desarmamento não deve ser votado até o final do ano. A decisão foi encaminhada hoje quando o autor do projeto, o deputado federal pelo MDB, Rogério Peninha, recebeu telefonema do presidente eleito Jair Bolsonaro.

— É melhor não forçar a barra agora — afirmou o parlamentar em entrevista ao Estúdio CBN Diário.

Em sua página no Facebook, peninha escreveu que “a composição do novo Congresso é mais conservadora. Com os novos deputados, as chances de aprovarmos o PL 3722 são bem maiores”.

A ideia do catarinense é facilitar a compra da arma, suprimindo um decreto presidencial onde é preciso comprovar a necessidade de ter uma arma. Ele pretende que seja apenas um declaração de necessidade, além de ter idoneidade, aptidão técnica, capacitação psicológica e residência fixa. Peninha acredita, ainda,  que o agricultor deve ter direito de  circular com uma arma em sua propriedade. No telefone com o presidente eleito, afirmou que os 34 deputados eleitos do MDB devem ajudar o governo sem pedir nada em troca. Entretanto, peninha indicou o deputado federal Valdir Collato para ser ministro da agricultura.

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.