VERGONHA NA CAPITAL – Hospital sem serviços de ressonância e tomografia

VERGONHA NA CAPITAL – Hospital sem serviços de ressonância e tomografia

Hospital Celso Ramos, está sem condições de prestar serviços de tomografia e de ressonância, pois aparelhos estão estragados
Uma vergonha ! Aliás, mais do que isto – uma irresponsabilidade que pode levar à fatalidade diante do não atendimento imediato de pacientes que precisam urgentemente dos serviços de tomografia e ou de ressonância magnética.

E o Hospital Celso Ramos possui aparelhos do gênero estragados e está temporariamente sem prestar atendimento à pacientes até que haja recuperação dos únicos dois aparelhos que promoviam este trabalho neste hospital. Um outro equipamento novo foi adquirido há cerca de 2 anos atrás, porém, como o espaço físico no Hospital Nereu ramos ainda não foi preparado devidamente para receber um dos aparelhos; a situação caótica nesta área de exames fica prejudicada.

O Hospital Celso Ramos, em Florianópolis,  existe há mais de 55 anos, mas suas condições precárias físicas necessitam de maior atenção do governo estadual; além de necessidades de ampliar o número de leitos e equipamentos e at´das equipes que prestam atendimento à pacientes nesta unidade hospitalar de Florianópolis (SC). A crise na área da Saúde é grave em Santa Catarina e atinge várias outras unidades hospitalares.

Para onde estão indo parar recursos na área da Saúde que vive um caos em SC ?

Precisaria uma ampla investigação para saber quais razões muitos hospitais em Santa Catarina que atendem pelo Sistema Único de Saúde – SUS não possuem condições plenas de atendimento aos usuários destes serviços de saúde.

Afinal, para quem possui renda financeira elevada procura atendimentos particulares como no caso aqueles empresários bem sucedidos; políticos ; alguns servidores públicos com renda bem mais superior do que a grande maioria dos que atuam nesta área ; mais precisamente ligados aos órgãos do Judiciário; Legislativos Estadual (Alesc)- Câmaras Municipais e Prefeituras Municipais em que maioria deles possuem planos de Saúde e recorrem ao setor privado para atendimentos à Saúde. Não é o que ocorre com quem possui baixa renda familiar e que depende diretamente dos serviços do Sistema Único de Saúde- SUS.

Governos em Santa Catarina deixaram de investir recursos financeiros na área da Saúde ao longo das últimas décadas e as consequências disto reflete no dia a dia da prestação destes serviços à população.

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.